Transição Capilar

Transição Capilar

Oiiiii, pessoal! Tudo bem com vocês?

Eu passei oito anos alisando meu cabelo, até que finalmente decidi aceitar meus fios como eles são. Agora, estou em transição capilar. Primeiro, vamos entender o que é cabelo e como as químicas funcionam?

O que é cabelo?

A parte que vemos do cabelo é um tecido morto. Seu cabelo cresce, porque mais cabelo é formado no folículo piloso (única parte viva) e o cabelo novo empurra o velho. O folículo piloso é formado durante o terceiro mês da vida embrionária.

Curiosidade: O que comumente chamamos de raiz é a parte inicial do nosso cabelo, mas a raiz verdadeira não pode ser vista, ela fica dentro do folículo piloso, onde o cabelo é gerado e colorido.

O ciclo de vida de um cabelo se divide em 3 fases:

  • Anágena – fase de crescimento, dura de 2 a 6 anos;
  • Catágena – fase intermediária, dura de 1 a 2 semanas;
  • Telógena – fase de eliminação, dura de 5 a 6 semanas.

Cada folículo piloso é independente do outro. Por isso, enquanto alguns crescem, outros caem. A fase de crescimento representa 90% do total de cabelos e a de queda, apenas 10%.

Estatísticas do cabelo

O seu cabelo é diferente do meu, da sua mãe, do seu filho e de qualquer outro, mas as médias estatísticas nos ajudam a entender um pouco melhor sobre eles:

  • O diâmetro de um fio varia entre 58 e 100 mícrons. Um mícron é igual a um milésimo de um milímetro. São necessários de 10 a 20 cabelos juntos para obter uma espessura de um milímetro;
  • Uma pessoa tem entre 120 e 150 mil fios de cabelo;
  • A velocidade média de crescimento de um cabelo saudável é de 1cm por mês;
  • É natural perdermos de 50 a 100 cabelos todos os dias;
  • O cabelo é constituído por água, lipídios, vestígios de elementos minerais, melanina e queratina. A queratina é o seu principal elemento;
  • Substâncias do sangue são incorporadas ao cabelo durante a sua formação, por isso um fio de cabelo pode fornecer uma grande quantidade de informações sobre você.

O tipo do nosso cabelo é determinado por ligações químicas que existem em sua estrutura. Existem duas principais ligações, as fortes (pontes dissulfeto) e as fracas (pontes de hidrogênio). Quanto maior o número de pontes dissulfeto, mais crespo o cabelo será e, quanto menor, mais liso.

Como as químicas agem?

A química pode romper essas ligações e mudar o formato dos nossos fios. Dentro do folículo piloso, onde o cabelo é formado, não há alteração, portanto todo cabelo que nasce é natural. Se você entrar em transição capilar e alguém te falar que você nunca mais vai ter seu cabelo cacheado de volta, ignore, essa pessoa não sabe do que está falando.

As mudanças as quais nos referimos na transição capilar são as fortes. As fracas são mudadas com o simples ato de molhar. Para escovar os cabelos com o uso de secador, por exemplo, você precisa que ele esteja molhado, para quebrar as pontes de hidrogênio e permitir uma mudança temporária na estrutura.

Lembram que eu falei que quanto maior o número de pontes dissulfeto, mais crespo o cabelo? Então, as químicas alisantes agem rompendo as ligações que formam essas pontes, com um menor número de pontes, mais liso o cabelo fica.

Quando você quebra as pontes dissulfeto, você pode moldá-las como quiser. Por isso, quando os bigudinhos são colocados para realizar o permanente, os cabelos são forçados a ficar com aquela estrutura cacheada.

Químicas mais comuns

Beleza natural

É feito um tipo de relaxamento nos fios com hidróxido de cálcio, que é uma química forte, e faz com que eles enrolem ao invés de alisar. Não é permanente porque não usam bigudinhos.

Botox

O verdadeiro botox é um tratamento de choque para os cabelos. O problema é que muitas vezes os profissionais prometem que ele também vai reduzir o volume ou alisar um pouco o cabelo. Lembrem-se tudo que reduz volume ou alisa, tem algum outro produto dentro e, portanto, é química.

Quando eu ainda não sabia muito sobre a transição capilar, e achava que havia uma saída milagrosa para passar pelo processo com uma diferença de texturas menos dolorida, um cabeleireiro me indicou fazer botox e disse que reduziria o volume. A essa altura eu já estava desconfiada e decidi não fazer. Então se você não confia de olhos fechados no seu cabeleireiro e acha que o que ele está te oferecendo pode reduzir o volume ou alisar, não arrisque!

Definitiva

Também conhecida como escova japonesa – É um procedimento à base de tioglicolato de amônia ou tioglicolato de etanolamina que, como o próprio nome já diz, alisa definitivamente os fios. Outros procedimentos também alisam definitivamente, o que difere aqui é que o efeito liso extremo é visto logo da primeira vez e não progressivamente.

Henê

Um alisamento que ao mesmo tempo colore os fios e alisa de forma progressiva.

Permanente

O permanente possui a mesma substância química que a de alguns alisamentos, o tioglicolato de amônia, para dar o formato usam-se os acessórios chamados bigudinhos.

Progressiva

Possui efeito gradual e afina os fios a cada aplicação, podem ser com formol ou a base de ácidos. Pode parecer que uma escova sem formol não danifica os fios, acontece que o formol foi proibido pela ANVISA e é obrigação dos profissionais não usar, por isso surgiram os outros tipos.

Relaxamento

é um alisamento a base de tioglicolato de amônia, mas também pode ser feito com guanidina, hidróxido de sódio ou hidróxido de cálcio.

Selagem

É um procedimento a base de queratina. Acontece que na grande maioria dos casos eles misturam formol à fórmula, logo se torna um procedimento químico. Se reduz o volume ou alisa, é química. Portanto, selagem nada mais é do que uma progressiva com outro nome.

Danos químicos

No site da Pantene, é possível conferir o que eles dizem sobre os danos químicos:

“Todos os tipos de tratamentos químicos como tintura, luzes ou reflexo, alisamento, escova progressiva, japonesa ou definitiva, permanente, alongamento ou apliques ressecam o cabelo e modificam a estrutura natural das cutículas. São perfeitos para o look, mas vilões para a saúde do cabelo.

Os alisamentos, progressivas e permanentes rompem a camada superficial dos fios e chegam até o córtex, quebrando as pontes de enxofre e alterando a estrutura natural do cabelo para uma nova forma. Esse processo retira a camada protetora da cutícula (responsável pelo brilho e textura) e a capacidade de reter a umidade (responsável pela hidratação) dos fios.”

Transição Capilar

Agora que você já sabe um pouco mais sobre seu cabelo e como as químicas agem nele, vamos falar sobre transição capilar? No vídeo, eu explico o que é a transição capilar e o big chop. Aperte o play:

Gostou? Aproveita e curte a gente nas redes sociais. Se tiver alguma dúvida, sugestão ou quer contar sua história, deixe uma mensagem nos comentários ou nas redes sociais. Se preferir, envie por aqui.

Fontes: http://www.hair-science.com
http://www.pantene.com.br/pt-br/pantene-institute/cabelo-danificado

Beijosss

Etiquetas:, , , , , , , ,

Posts relacionados

por
Próximo post

Comentários

  1. Pingback: A textura do cabelo pode mudar? ⋆ Carol Souza

  2. Pingback: 8 motivos para você não lavar os cabelos com água quente

    • Aglacir
    • 31/10/2015
    Responder

    Adorei o primeiro vídeo! Espontânea e simpática! Continue assim!

    1. Responder

      Que bom, fico muito feliz! Espero que continue acompanhando e gostando. 😀

Envie seu comentário

18 shares

Sobre mim

Oiii, pessoal. Tudo bem com vocês?

Oiii, pessoal. Tudo bem com vocês?

Sou Jornalista, tenho 27 anos e estou em transição capilar. Por aqui, você encontra tudo sobre o universo da Transição Capilar e das Cacheadas.
Oiii, pessoal. Tudo bem com vocês?